terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Irmandades Sufis no Senegal. Mouridismo e Tijanismo





Este post é sobre irmandades muçulmanas sufis do Senegal, uma parte importante da vida religiosa e cultural do país e serve também para eu contextualizar algumas coisas que vou contar nos próximos posts, nomeadamente no post sobre St. Louis.

A irmandade Tijani ou Tijaniyyah surgiu com Sīdī 'Aḥmad al-Tijānī (1737–1815), que nasceu na Argélia e morreu em Fez em Marrocos. Embora a sua influêcia tenha sido relegada para segundo plano no norte de África ganhou popularidade na África Ocidental onde continua a expandir-se.
Esta irmandade é a maior das irmandades muçulmanas do Senegal em número de seguidores, de facto cerca de metade da população Senegalesa pertence a esta corrente, só por isso merecia que escrevesse sobre ela no mínimo tanto como escrevo sobre a irmandade Mourida no entanto tive grandes conversas sobre a irmandade Mourida e o grande marabout de Touba e embora tenha também ouvido falar muitas vezes sobre a Tijani e os marabouts de Kaolack e Medina-Gounass e Tivaouane nunca ninguém me explicou muito bem a sua história e filosofia por isso não posso escrever muito sobre ela.
No entanto sei que dão muita importância aos 5 pilares do islão e a Maomé.

A confraria ou irmandade Mourida é uma grande ordem islâmica da escola Sufi que tem muitos seguidores no Senegal e Gâmbia e um pouco por toda a África Ocidental.
A irmandade tem origem em Amadou Bamba (1850–1927), filho de um marabout da irmandade Qadiriyya. Amadou Bamba foi um lider espiritual muçulmano, um marabout, mistico e intelectual que escreveu textos acerca de meditação, rituais, trabalho e estudo do Corão.
Apenas uma fotografia de Amadou Bamba sobreviveu até aos nossos dias. Esta fotografia é venerada e existem reproduções expostas por toda a parte, nos autocarros, táxis, nas casas...
Foto de Amadou Bamba
Apesar de não ser a favor da presença francesa na África Ocidental Amadou Bamba não incentivava a luta armada contra estes ao contrário de muitos marabouts Tijaniyyah da época.
No entanto Amadou Bamba tinha uma influência cada vez maior depois de ter convertido vários reis locais ao Mouridismo e os franceses temiam que ele pudesse levantar um exército contra eles. Por este motivo enviaram-no para o exílio primeiro para o Gabão e depois para a Mauritânia.
No entanto no exílio a sua popularidade aumentou, por ter alegadamente sobrevivido a situações de tortura e privação e tentativas de o matarem.
Segundo as lendas, durante a viagem de barco para o Gabão os franceses acorrentaram-no e impediram-no de rezar, ele quebrou as correntes e mergulhou no oceano tendo começado a rezar sobre um tapete de oração que surgiu das águas. Colocaram-no dentro de uma fornalha e ele simplesmente sentou-se e tomou um chã com Maomé. Colocaram-no numa arena com leões e ele deitou-se e dormiu encostado a eles.
Em 1910 os franceses mudaram de estratégia e permitiram que Amadou Bamba voltasse ao Senegal para cooperar com eles em vez de o tentarem afastar.
Foi inclusivamente galardoado pelos franceses pelo seu papel no recrutamento de soldados na África Ocidental para lutarem ao lado dos franceses na 1ª Guerra Mundial.
Foi permitido que a irmandade Mouride crescesse e em 1926 Bamba iniciou a construção da Grande Mesquita de Touba na qual viria a ser sepultado.
Desde então a irmandade continuou a crecer em número de seguidores e influência e foi dirigida pelos filhos de Amadou Bamba.
Desde 2007 o grande marabout é Serigne Mouhamadou Lamine Bara Mbacké, neto de Amadou Bamba.
Hoje em dia a confraria controla importantes sectores da economia do Senegal como o sector dos transportes e a plantação e exportação de amendoins, exercendo também uma influência política muito considerável, de facto o actual presidente do Senegal, Abdoulaye Wade deslocou-se a Touba no dia a seguir à sua eleição para pedir a benção do grande marabout.

Baye Fall
Baye Fall
Um discípulo famoso de Amadou Bamba, de nome Ibra Fall era particularmente conhecido pela sua adoração a Allah e considerava o trabalho uma forma de adoração.
Ibra Fall criou um sub-grupo dentro do Mouridismo chamado Baay Fall em que o trabalho árduo era uma forma de dedicação a Allah e ao marabout.
Os membros do Baay Fall usam roupas grosseiras coloridas e cabelo com dreadlocks muitas vezes enfeitado com argolas de arame e cordel feitas por eles. Em vez de trabalho árduo muitos Baye Fall passam o dia a pedir esmola nas ruas, não para si (só o suficiente para sobreviver) mas para o seu marabout. Muitos deles são bons músicos e tocam enquanto pedem a esmola...

Música Sheik Amadou Bamba por Alpha Blondy


3 comentários:

  1. AS SALAM MALEIKOOM !

    PARABÉNS PELAS BELAS INFORMAÇÕES SOBRE SUFISMO
    NO SENEGAL E OUTROS PAÍSES DA ÀFRICA !!!...

    FAVOR ENVIAREM SEMPRE INFORMAÇÕES SOBRE SUFIS-
    MO ! GRATO, CORDIALMENTE.

    BISMILLÁH - ALLÁHU AKBAR !!!

    MARWANN HABIB CASTRO

    marcohabib@ig.com.br

    CAIXA POSTAL 2 0 9
    37701-970 - POÇOS DE CALDAS - MG. - BRASIL

    ResponderEliminar
  2. Maleikoum Salam! Obrigado pela mensagem! Se voltar a publicar algo sobre o Mouridismo aviso mas por agora nao me parece muito provavel uma vez que agora estou a viajar pela América do Sul.

    ResponderEliminar
  3. https://www.youtube.com/watch?v=m9pobRLGTPg

    ResponderEliminar